Apartamento Planejado para a Terceira Idade Oferece Segurança e Conforto

O projeto para maiores de 60 anos apresenta recursos preciosos para oferecer segurança e conforto quando a idade avança.

Especializada em gerontologia – modalidade que pesquisa os fenômenos relacionados ao envelhecimento humano –, a arquiteta e consultora Flavia Ranieri (do escritório paulistano Grou) levou sua expertise à mostra CASACOR São Paulo 2018. Num espaço de 45 m² chamado Estúdio da Longevidade, ela reuniu soluções de projeto, equipamentos, tecnologias, materiais e móveis específicos para facilitar a rotina de quem chega à sexta década de vida pensando em como se preparar para as seguintes.

Vale dizer: não são recursos voltados a quem apresenta necessidades especiais de acessibilidade e locomoção, embora alguns itens possam servir também nesses casos. Chamando a atenção para o fato de que no Brasil a dita terceira idade começa aos 60 enquanto em outros países, por exemplo, essa fase tem início aos 65, a profissional destaca ainda outro aspecto: “Parece que muitas pessoas mais velhas têm procurado morar em lugares compactos, em busca de praticidade e pouca manutenção”. Daí a proposta imaginada por Flavia reunir sala, cozinha, quarto, lavanderia e banheiro em metragem tão enxuta. Confira os aspectos que fazem a diferença nesse contexto e veja como adaptá-los para a sua realidade.

SALA E COZINHA: Integradas e com as boas ideias à mostra

  • Sobe e desce

Inimigo da segurança, o banquinho – nada de subir para apanhar algo no alto! – é dispensado com estas prateleiras motorizadas (que se elevam e abaixam suavemente).

  • Sem queimar

Foi escolhido um cooktop de indução (HomeMade, da Gorenje), que gera calor apenas nos trechos em contato com as panelas. Ele também tem desligamento automático.

  • Trilha de luz

À noite, ir ao banheiro ou à cozinha é simples: sensores de movimento acendem os balizadores sob o guarda-roupa, formando um caminho luminoso sem ofuscar.

  • Fácil de apanhar

As louças e os utensílios do dia a dia ficam reunidos e expostos em prateleiras

acima da pia (livres de portas), simplificando o acesso e o manuseio.

  • Bancada baixa

Seguindo a norma NBR 9050, o tampo fica a 85 cm de altura (e sem armários embaixo). Assim, cabe uma banqueta na hora de lavar a louça e até uma cadeira de rodas se necessário.

  • Móveis adequados

Todos são baixos e dotados de cantos arredondados. O estofamento dos assentos deve ser extra-firme, facilitando o levantar; as cadeiras pedem braços pela mesma razão.

QUARTO E BANHEIRO: Foco em mobilidade e segurança

  • Apoio forte

Barras na horizontal e na vertical contribuem para uma movimentação segura no espaço. Em nome de um visual elegante, a arquiteta elegeu modelos pretos.

  • Versátil

Do tipo suspenso, o vaso sanitário ganhou fixação elevada, dispensando o assento especial. A descarga (dotada de sensor

de movimento) aciona automaticamente após o uso.

  • Para sentar

Lançamento da Deca, este banquinho é compacto e articulado (pode ser fechado). Serve ainda para apoiar o pé na hora de lavá-lo, por exemplo.

  • Praticidade

As gavetas levam alças, não puxadores, mais fáceis de acionar por quem tem artrite ou artrose. Elas têm ferragens (Blum) para abrir até o fundo.

  • Boxe múltiplo

Com uma porta de correr e outra rebatível, ele permite várias configurações (como o acesso com cadeira de rodas e a inclusão do vaso na área molhada, caso seja necessário).

  • Um só nível

Não há diferenças entre os pisos. Além disso, o trilho da porta de correr fica embutido e o ralo linear, ao fundo, também. A cerâmica da área molhada é antiderrapante.



Fonte: Abril