Drones na Construção Civil

A evolução e o barateamento da tecnologia possibilitaram que os drones — dispositivos de voo controlados remotamente — se tornassem acessíveis, facilitando a rotina de trabalho de um engenheiro civil. Com um drone, o profissional ganha simplicidade na realização de várias tarefas que antes eram proibitivas, inclusive a inspeção e o monitoramento em construções com áreas de difícil acesso. O uso de drones na construção civil tem se tornado uma solução cada vez mais comum, barata e prática para auxiliar o planejamento e a execução de obras.

A palavra drone diz respeito, inicialmente, a qualquer tipo de veículo aéreo não tripulado, comandado remotamente, independentemente do seu tamanho ou finalidade.

Mas, nos últimos anos, a palavra se popularizou ao representar um tipo específico de drone: os pequenos dispositivos comandados por aplicativos ou controles, equipados com uma câmera de alta definição e capazes de voar com grande autonomia.

A possibilidade de enxergar o mundo de cima com flexibilidade e um investimento baixo está transformando várias áreas de trabalho, entre elas a engenharia. O tipo de visão que antes só era possível com a contratação de um helicóptero (caro e de uso esporádico) agora pode ser adotado como parte da rotina de uma construção.

Para você ter uma ideia de como os drones estão transformando esse setor, seguem abaixo 3 formas de uso da tecnologia que estão se popularizando no mercado e tornando a vida dos engenheiros mais fácil.

  1. Mapeamento

A fase de mapeamento de um terreno para construção pode ser cara e complexa, dependendo do tamanho da obra.

O drone em si não vai substituir os métodos mais técnicos de análise e medição, muito menos a presença humana, mas já serve de suporte para entender distâncias, simular alterações e verificar números — tarefas capazes de agilizar esse processo e diminuir seus custos.

  • Monitoramento

Quando falamos em monitorar uma construção e sua mão de obra, existem algumas situações em que o trabalho do responsável é mais complicado — como em edifícios e obras de grande porte, onde a produtividade está espalhada por uma área muito extensa.

No caso de construções de vários andares, por exemplo, o drone pode ser usado diariamente para percorrer todos eles monitorando questões como uso de equipamentos de segurança, evolução do trabalho e utilização consciente de recursos.

  • Inspeção

Um bom uso dos drones também acontece no pós-obra. Dependendo do tamanho da construção, os dispositivos economizam muito tempo e dinheiro na hora de inspecionar o local em busca de possíveis problemas elétricos, infiltrações, rachaduras etc.

Já existem, inclusive, acessórios complementares que ampliam as capacidades dos drones e os tornam ainda mais úteis, como sensores termais.



Fonte: Belgo Bekaert Arames